Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

sabadao-da-onda
No comando: SABADÃO DA ONDA

Das 8h às 12h

banner-programa-bom-dia-noticias-site-01
No comando: BOM DIA NOTÍCIAS

Das 07h às 09h

banner-alo-tradicao
No comando: ALÔ, TRADIÇÃO

Das 12h às 13h

que-beleza
No comando: QUE BELEZA

Das 12h às 18h

debate
No comando: DEBATE DA ONDA

Das 13h às 14

paradao-de-sucessos
No comando: PARADÃO DE SUCESSOS

Das 13h às 24h

super-tarde
No comando: SUPER TARDE

Das 14h às 16h

sem-titulo-1
No comando: TOP ONDA JOVEM

Das 16h às 17h

hora-extra
No comando: HORA EXTRA

Das 17h às 18h

transmissao-da-missa
No comando: TRANSMISSÃO DA MISSA

Das 18h às 19h

sem-titulo-1
No comando: GIRO DO DIA

Das 18h às 19h

onda-rural-01
No comando: ONDA RURAL

Das 19h às 21h

clube-da-onda
No comando: ÂNGELO MORO

Das 19h às 21h

esquenta
No comando: ESQUENTA

Das 23h às 01h

madruga-de-sucessos
No comando: NA INSÔNIA

Das 00h00 às 04h30

manha-sertaneja
No comando: MANHÃ SERTANEJA

Das 04h30 às 06:20

fecoagro
No comando: INFORMATIVO FECOAGRO

Das 06h20 às 06h30

mensagens-de-fe
No comando: MENSAGENS DE FÉ

Das 06h30 às 07h00

nego
No comando: TIO NEGO

Das 07h30 às 12h

clube-da-onda
No comando: CLUBE DA ONDA

Das 09:00 às 11:00

tricotando
No comando: TRICOTANDO

Das 11:00 às 12:00

musica-para-milhoes
No comando: MÚSICA PARA MILHÕES

Das 12:00 às 13:00

Alienação parental é tema de roda de conversa na Unesc

Compartilhe:
dsc_0123

A alienação parental foi tema de uma roda de conversa entre professores e estudantes dos cursos de Direito e Psicologia da Unesc e pessoas da comunidade nesta quarta-feira (13/3). O encontro foi conduzido pela equipe da Universidade que participa do projeto Prevenção e Erradicação da Síndrome da Alienação Parental, realizado em parceria com o Fórum de Criciúma. As atividades ocorrem no Centro Judicial de Solução de Conflitos e Cidadania do Fórum e na Casa da Cidadania do Distrito de Rio Maina em forma de oficinas educativas.

A roda de conversa desta quarta-feira fez parte da programação do Dia Internacional da Mulher e buscou esclarecer dúvidas sobre a alienação parental. “Incluímos o tema na programação do Dia da Mulher porque boa parte dos casos envolvem as mães, que geralmente são as que ficam com a guarda dos filhos. Mas além da mãe e do pai, a alienação parental pode ser praticada por avós, tios, parentes próximos à criança”, explica.

Desqualificar o pai ou a mãe, apresentar denúncias falsas, dificultar o contato da criança ou do adolescente com um de seus pais ou a convivência com a família de uma das partes são algumas das formas de alienação parental. Omitir informações relevantes sobre a criança ou adolescente, inclusive escolares, médicas e mudança de endereço sem justificativa também são consideradas alienação.

Esse processo pode causar consequências para os filhos, como ansiedade, dificuldade de relacionamento, insegurança, sentimento de culpa, mudança de comportamento, queda do rendimento escolar e agressividade.

Segundo Sheila, alienação parental não é considerado crime, mas o juiz poderá estabelecer penas ao praticante que vão da advertência, ampliação da convivência em favor do pai ou mãe prejudicado, determinação de acompanhamento psicológico até a perda da guarda.

O projeto

O projeto Prevenção e Erradicação da Síndrome da Alienação Parental tem o objetivo de dar assistência psicológica e jurídica aos casais com filhos e em processo de separação e contribuir para a efetivação do direito de convivência familiar sadia para as crianças e adolescentes. Ele ocorre desde 2013.

Na oficina, os pais passam a ter conhecimento dos malefícios que os atos de alienação podem causar aos filhos e do que a lei diz a respeito da alienação parental, além de receber informações sobre os tipos de guarda e compartilhamento de responsabilidades relacionadas aos filhos.

O projeto tem a participação de Sheila, da professora do curso de Psicologia, Cristina Kern, das alunas de Direito, Vitória Bisognin Ceretta e Letícia Barreto e das acadêmicas de Psicologia, Carolina Rodrigues Felisbino e Alice Zanatta.

Redação – Assessoria de Imprensa Unesc

Deixe seu comentário: